• Comitê Brasileiro de Acrobacia e Competições Aéreas Brasil

Notícias

COMUNICADO DO PRESIDENTE CBA

Caros associados e amigos acrobatas!

Em 2018, mais um triênio de vida do CBA se inicia e com muita alegria e satisfação a nova diretoria aceitou o desafio de ser o Líder #1 da nossa associação.

Primeiramente, devemos render nossa homenagem a Diretoria que nos sucedeu pelo árduo e grandioso trabalho realizado em prol da consolidação do CBA como uma das associações de acrobacia mais respeitadas e reconhecidas no meio aeronáutico brasileiro, tanto por autoridades da aviação civil quanto militar. Da mesma forma, devemos aplaudir todos os nossos associados por termos atingido os nossos objetivos de ser uma associação independente, capaz de incentivar e agregar pilotos e entusiastas da acrobacia de todo o País, engrandecendo, assim, o nosso esporte e acima de tudo, a segurança do voo acrobático.

De fato, mesmo com todas as dificuldades econômicas que assolam o nosso Brasil nos últimos anos, o CBA, através dos nossos associados, demonstrou ser unido e forte, sendo capaz de realizar 5 Campeonatos Brasileiros de altíssimo nível técnico e de segurança de voo.

Temos muito do que nos orgulhar! A base do CBA está consolidada, e por esta razão, o nosso desafio, vontade e responsabilidade de nós associados é ainda maior!

O compromisso de continuar este trabalho com a ajuda de todos e buscar sempre a melhoria contínua da relação CBA e seus associados devem estar sempre em nosso horizonte. Temos convicção de que através do avanço das nossas atividades de treinamento, maior interação com os associados e transparência na nossa gestão, engrandeceremos cada vez mais o nosso CBA.

O norte verdadeiro deve continuar sendo a sinergia com as entidades da acrobacia e autoridades aeronáuticas brasileiras e internacionais, a fim de aprimorar as condições técnicas e regulatórias do nosso esporte. Da mesma maneira, vamos procurar incentivar e apoiar cada vez mais as escolas aeronáuticas e aeroclubes que desejem ensinar a acrobacia e realizar atividades regionais como forma de congregar os nossos associados e divulgar ainda mais o nosso esporte por todo o País.

Independentemente da categoria de pilotos que sejamos, profissionais ou não, de linha aérea, executiva ou agrícola, ou ainda aqueles que se dedicam ao show aéreo ou a acrobacia de competição, o estado da federação em que nasceu ou reside, esta diretoria acredita que o que nos conecta ao final é a paixão pela ACROBACIA e por ela, devemos unir esforços e puxar “G” positivo sempre para cima!

Contamos com a contribuição de todos!


Saudações acrobáticas!


Fernando Locatelli

Presidente CBA


OBJETIVOS E FINALIDADES PRINCIPAIS DO CBA:

1° Congregar para a defesa dos interesses comuns, dos pilotos e entusiastas da acrobacia aérea em atividade no país, bem como as pessoas físicas ou jurídicas interessadas no desenvolvimento desse esporte;

2º - Incentivar e estimular a prática da acrobacia aérea e de competições e eventos;

3º - Realização de exposições públicas, estáticas, interativas e aéreas, das aeronaves e do acervo dos associados e terceiros;

4º - Organização e participação de debates, seminários, cursos e eventos sobre temas de seu interesse; realização e promoção da pesquisa, desenvolvimento e disseminação de técnicas, modelos e práticas;

5º - Concepção, desenvolvimento, execução, supervisão e monitoramento de programas, projetos e planos de ação relacionados aos seus objetivos institucionais;

6º - Reconhecimento, qualificação, treinamento, classificação e certificação de pessoas, processos, métodos e técnicas no que se refere à produtividade, sustentabilidade, qualidade e inovação inclusive a fim de representar o Brasil em atividades internacionais;

7º - Promover a realização de campeonatos, torneios aerodesportivos e demonstrações aéreas;

8º - Propugnar pela aplicação das normas atualizadas editadas pela Comissão Internacional de Acrobacia Aérea da Federação Aeronáutica Internacional (CIVA-FAI);

9º - Promoção do intercâmbio com outras instituições, entidades afins, públicas e privadas, órgãos, agências e outros setores do poder público;

10º - Celebração de convênios, nacionais e internacionais, com entidades públicas e privadas para consecução de seus objetivos;

11º - Produção, promoção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e científicos, que digam respeito às atividades mencionadas neste artigo, por meio de eventos e publicações e afins;

12º - Formulação de projetos e sugestões de políticas públicas voltadas para a representatividade do esporte em âmbito nacional e internacional;

13º - Identificação e captação de fontes de recursos que possam contribuir para o custeio das ações institucionais, mediante a constituição de fundo patrimonial;

14º - Por meio de sua Diretoria e ou Corpo de Associados, cumprir missões de emergência ou de notório interesse da coletividade.

Notícias