• Comitê Brasileiro de Acrobacia e Competições Aéreas Brasil

Artigos

image

CONVERSANDO COM OS ACROBATAS - 2

                                   

Dando sequência ao compartilhamento de experiências dos pilotos melhor pontuados em Rio Verde, apresentamos uma conversa com o piloto Camilo Freitas, campeão da categoria Esporte em 2013.

 

_______________________________________________________________________________

Onde, como e quando aprendeu a pilotar aviões?

Acho que comecei a "pilotar aviões" por volta dos meus 10 anos, quando construía e pilotava aeromodelos... Mas pilotar de verdade foi no Aeroclube do Alegrete, onde tive o Marcos Gudole e o Fernando Guerra como instrutores.

 

Quando começou a gostar de acrobacia?

Em 1992 quando comecei a fazer o curso de iniciação aeronáutica em Belem Novo tive os primeiros contatos com a acrobacia. Lá eu assistia apresentações da Tchê Connection, do Machado voando de Citabria, do Casarim voando o Eagle ZRS, e o Moacir Uguini fazendo apresentações de planador.

 

Como foram os primeiros vôos acrobáticos? 

Meus primeiros voos foram com o Guerra em Alegrete voando o Globe Swift particular dele. Por muito tempo fiquei voando somente o Globe,e tenho muita saudade pois é uma maquina maravilhosa. Ja o vôo invertido e o treinamento de biplano me foi dado pelo Italiano  (Capacchi) em Erechim no Eagle (ZEX).

E nao podia ter sido melhor: alem uma instrução muito profissional a diversão é garantida. Depois fiz um curso na Tutima Academy na California. E a doutrina, os conceitos e o treinamento para a competição me foi todo passado pelo Francis, e nao tenho a menor duvida que sem a atenção que me foi dada por ele, pelo Mario Lara e pela Silvia meu resultado seria muito diferente.

 

Em acrobacia, já encontrou alguma dificuldade que precisou ser superada?

Na realidade tive muitas dificuldades, mas, como sempre fui orientado por bons instrutores, posso dizer que grande parte delas hoje eu superei. Mas sempre se tem muito mais para aprender.

 

Quais foram os benefícios que a prática da acrobacia aérea trouxe para seu nível de pilotagem?

Na área em que trabalho (aviação agrígola) sao inúmeras as vantagens geradas por aprender conceitos acrobáticos. Visto que sempre estamos trabalhando com uma carga alar elevada em baixíssima velocidade e nem sempre com condições climáticas favoráveis.

Existem conceito básicos aprendidos na acrobacia que não são respeitados pela grande maioria dos meus colegas.

Imagino que se eles tivessem feito um curso e vivido as "situacoes e consequencias" de uma pilotagem errada ,jamais cometeriam tais erros.

 

Na sua opinião, qual a melhor forma de treinar para um campeonato?

Em primeiro lugar, o ideal é voar junto com algum piloto competidor,  alguém que tenha experiência em competicão, para que este mostre como devem ser os inputs de comando.

Depois disso, treinar muito, mas sempre com alguém vendo ,sempre tendo alguém para comentar. E este espectador deve ter os conceitos da competição e das regras muito bem claros para não vir a prejudicar, visto que o voo é feito para os juízes.

Nem sempre o que nos parece bom dentro do avião é bom aos olhos dos juizes.

E muito voo mental e ensaio no chão. Treinar pouco e com qualidade é melhor que treinar muito sem qualidade.

 

Tem alguma opinião geral sobre a competição de Rio Verde?

Rio Verde foi o meu primeiro contato com uma competição aérea; no meu conceito foi tudo perfeito. A organização se esforcou e proporcionou o máximo. Os beneficios a quem competia e a quem ajudava não tinham limites. A recepção foi ótima e o clima da competição também. Todos que participaram com certeza sao muito gratos aos esforços do CBA e do André Textor.

Já aproveito e deixo aqui o meu agradecimento a todos os envolvidos. Muitos outros pilotos eu sei que nao compareceram devido aos seus compromissos e desejavam muito estar em Rio Verde.

 

Pretende seguir competindo? Quais os planos para o futuro?

Pretendo sim, minha ideia é voar a Intermediaria no proximo ano. Espero que outros pilotos façam o mesmo para tentar gerar na Intermediaria o mesmo nivel de competição que tivemos na Sport. Temos muitos pilotos no Brasil em um nivel altíssimo  que poderiam rechear todas as categorias. 

 

Tem algum conselho para quem deseje aprender acrobacia aérea?

Aconselho o seguinte: que procure um bom instrutor que estude muito, que esteja sempre (toda vida) disposto a aprender, e que em hipótese nenhuma atropele algum passo dessa seqüência.

Artigos